TV CPA - O canal de TL Online da Comunidade
Próximas Transmissões

19/6 - Terça-feira
08:30 às 09:30

COLUNAS

Contábil

Conheça o REGULARIZE! Sistema de atendimento ao contribuinte que substituirá o e-CAC PGFN

Pessoal

Jurisprudência - Empresa que não preencheu cota legal destinada aos portadores de deficiência consegue afastar multa

Fiscal

Senado tenta recompor incentivo para refrigerantes

INFORME CPA

Receba as últimas notícias sobre as áreas Contábil, Fiscal e Pessoal.

Cadastre-se

Notícias

Imprimir Voltar
14/06/2018 10:25:26 | Contábil

PER/DComp – Alterações – Vedação da compensação das estimativas mensais para empresas do lucro real

Foi publicada no DOU de hoje, 14.06.2018, a Instrução Normativa RFB n° 1.810, de 13 de junho de 2018, que dispõe sobre normas gerais de tributação previdenciária, e a Instrução Normativa RFB nº 1.717/2017, que estabelece normas sobre restituição, compensação, ressarcimento e reembolso.

 

Dentre as disposições, destacamos:

 

A Instrução Normativa nº 1.717/2017, passa a vigorar com as seguintes alterações:

 

1) O sujeito passivo que apurar crédito, inclusive o crédito decorrente de decisão judicial transitada em julgado, relativo a tributo administrado pela Receita Federal do Brasil (RFB), passível de restituição ou de ressarcimento, poderá utilizá-lo na compensação de débitos próprios, vencidos ou vincendos, relativos a tributos administrados pela Receita Federal do Brasil (RFB).

 

2) A compensação é vedada e será considerada não declarada quando tiver por objeto:

 

I - o crédito resultante de pagamento indevido ou a maior efetuado no âmbito da PGFN;

 

II - o débito ou o crédito que se refira ao AFRMM ou à TUM;

 

III - o crédito objeto de pedido de restituição ou de ressarcimento e o crédito informado em declaração de compensação cuja confirmação de liquidez e certeza esteja sob procedimento fiscal;

 

IV - os débitos relativos ao recolhimento mensal por estimativa do IRPJ e da CSLL apurados na forma do art. 2º da Lei nº 9.430/1996;

 

V - os tributos apurados na forma do regime unificado de pagamento de tributos, de contribuições e dos demais encargos do empregador doméstico (Simples Doméstico), instituído pela Lei Complementar nº 150/2015;

 

VI - o débito das contribuições sociais, previstas nas alíneas a, b e c do parágrafo único do art. 11 da Lei no 8.212/1991, e das contribuições instituídas a título de substituição, que se referem os arts. 2º e 3º da Lei nº 11.457/2007:

 

a) relativo a período de apuração anterior à utilização do eSocial para apuração das referidas contribuições; e

 

b) relativo a período de apuração posterior à utilização do eSocial com crédito dos demais tributos administrados pela Receita Federal do Brasil (RFB) concernente a período de apuração anterior à utilização do eSocial para apuração das referidas contribuições; ou

 

Vale destacar que o procedimento fiscal restringe-se ao procedimento fiscal distribuído por meio de Termo de Distribuição de Procedimento Fiscal (TDPF).

 

VII - o débito dos demais tributos administrados pela Receita Federal do Brasil (RFB):

 

a) relativo a período de apuração anterior à utilização do eSocial para apuração das contribuições sociais a que se referem os arts. 2º e 3º da Lei nº 11.457/2007, com crédito concernente às referidas contribuições; e

 

b) com crédito das contribuições a que se referem os arts. 2º e 3º da Lei nº 11.457/2007, relativo a período de apuração anterior à utilização do eSocial para apuração das referidas contribuições.

 

3) No prazo máximo de 30 (trinta) dias úteis, contado da data em que a compensação for promovida de ofício ou em que for apresentada a declaração de compensação, compete à Receita Federal do Brasil (RFB) adotar os seguintes procedimentos:

 

I - debitar o valor bruto da restituição, acrescido de juros, se cabíveis, ou do ressarcimento, à conta do tributo respectivo; e

 

II - creditar o montante utilizado para a quitação dos débitos à conta do respectivo tributo e dos respectivos acréscimos e encargos legais, quando devidos.

 

Ressalta-se, que na hipótese em que a compensação for considerada não homologada ou não declarada, os procedimentos acima citados deverão ser revertidos.

 

4) No caso de crédito relativo ao Reintegra, o débito do valor bruto do ressarcimento será efetuado à conta dos seguintes tributos:

 

I - 17,84% (dezessete inteiros e oitenta e quatro centésimos por cento) para a contribuição para o PIS/Pasep; e

 

II - 82,16% (oitenta e dois inteiros e dezesseis centésimos por cento) para a Cofins.

 

Ressalte-se que por meio do Decreto nº 9.393/2018, o crédito do Reintegra, passa a ser 0,1% (um décimo por cento), a partir de 1º de junho de 2018.

 

Clique no link legislação e confira a íntegra da Instrução Normativa RFB n° 1.810/2018

   Enviar por E-mail
Voltar

Últimas Notícias

todas as notícias
18/06/2018 15:01:04 | Pessoal

Procurar Notícias

Área do Assinante

Faça seu Login ou

Conheça nossos planos e assine

Usuário:

Senha:

NetCPA Todos os direitos reservados.
Página Inicial | Empresa | Notícias | Cursos | Planos de Assinatura | Fale Conosco
Fone/Fax: 15 | 3219.4822
Rua Isaac Pacheco, 138
Além Ponte | Sorocaba/SP
CEP 18020-070
Mapa - Localização